Como-lidar-com-o-choque-cultural-durante-o-intercâmbio

Como lidar com o choque cultural durante o intercâmbio

Choque cultural refere-se aos sentimentos experienciados por um indivíduo que passa a conviver em uma nova cultura ou ambiente social, especialmente quando na ausência de pessoas e coisas familiares. Esses sentimentos podem ser de surpresa, frustração, desorientação, incerteza e solidão.

Fazer intercâmbio é uma dessas experiências de vida que nos mudam para sempre, porém, nem tudo são cores e os desafios existem. Ajustar-se a novas situações e culturas é complicado para muita gente, e deve ser visto como um processo progressivo. A maioria das pessoas passa por quatro fases de choque e ajustamento cultural. Entender essas quatro fases pode ser de grande ajuda para a superação desse choque e assimilação acelerada da nova cultura.

Fase da lua de mel

A primeira fase é a lua de mel, que ocorre quando o indivíduo acaba de chegar em sua nova casa. Essa fase é caracterizada por muita euforia e felicidade. O sonho de estudar nos Estados Unidos finalmente se torna uma realidade. Tudo é novo, e todo lugar é palco para novas fotos e posts nas mídias sociais. É interessante explorar novos restaurantes, bares, e conversar a todo o tempo em inglês é uma experiência nova e divertida. Durante essa fase, a pessoa tende a usar gestos e sorrir bastante em resposta a outras pessoas que tentam se comunicar em inglês. Com o tempo, a dificuldade e frustração em se comunicar se acumulam, o que acaba resultando na segunda fase: a fase da frustração.

Fase da frustração

Após o desgaste da euforia inicial, é normal que o intercambista comece a sentir um pouco de frustração. O sentimento de novidade acaba, e a pessoa passa a cair na real de estar fazendo parte de uma nova cultura com hábitos e costumes diferentes. Para quem não está acostumado a se comunicar em inglês, ter de usar a língua inglesa todos os dias pode se tornar cansativo e frustrante. Além disso, a pessoa passa a sentir saudades das pessoas, da comida, das coisas e da rotina relacionada ao país de origem. Nessa fase, algumas pessoas podem se sentir ansiosas, se irritar com facilidade, e ter dificuldade para estudar, dormir e/ou comer. Reconhecer esse problema é muito importante para que a pessoa possa reverter a situação e passar para a próxima fase, a da assimilação.

Fase da assimilação

Durante essa fase, a pessoa passa a relaxar e compreender melhor os costumes e hábitos norte-americanos. Além disso, a pessoa passa a criar amizades e laços com pessoas nos Estados Unidos, o que trás uma sensação de segurança e conforto. Nessa fase, a comida já não parece mais tão estranha, e o indivíduo passa a criar um gosto pela comida local, assim como desenvolver preferencias por certos restaurantes e lojas da região. Aos poucos o inglês vai se soltando, e a pessoa compreende que é melhor tentar se comunicar e errar, do que não tentar. Continuando, a próxima fase é a da integração.

Fase da integração

Finalmente, o intercambista se sente completamente integrado à nova cultura. Nessa fase, a pessoa se encontra rodeada de pessoas com quem confia, e passa a se sentir em casa morando na cidade que escolheu como destino de seu intercâmbio. Comunicar-se passa a acontecer com naturalidade, e a pessoa passa a criar uma rotina e ter fortes opiniões e preferências com relação a bares, restaurantes, lojas, e eventos locais.

Conclusão

É claro que essas fases são apenas generalizações, e que algumas pessoas tem experiências completamente diferentes. Porém, compreender as quatro fases de ajustamento cultural pode ser muito importante para que o intercambista assimile a cultura norte americana mais rápido e aproveite mais o intercâmbio.